Portal do Governo Brasileiro

Cheila dos Santos (Crédito: Stela Rosa)

Cheila dos Santos, 28 anos, natural do Maranhão. Sua história se assemelha a de muitas companheiras de cela que estão participando do Mulheres Mil em Roraima. O sonho de ter uma vida melhor se transformou em pesadelo. Ela tentou embarcar para Barcelona, Espanha, com 80 cápsulas de cocaína no organismo, foi presa em flagrante e pegou 14 anos de prisão. Agora a meta é profissionalizar-se para garantir renda para a sua família e se formar em Direito.

Portal Mulheres Mil – Qual sua expectativa em relação ao Mulheres Mil?

Cheila Santos - Acredito que esse curso pode ser uma porta para a gente mostrar que pode mudar de vida, que queremos e precisamos trabalhar para sustentar nossos filhos. Essa situação é muito ruim, porque você perde a liberdade e fica malvista na sociedade. As pessoas não querem te dar emprego. É a maior discriminação. As colegas que estão cumprindo pena em sistema semi-aberto relatam que é difícil conseguir trabalho.

Portal Mulheres Mil – Você é natural do Maranhão. Por que veio para Boa Vista?

Cheila Santos - Fui criada pela minha tia desde os primeiros dias de nascida. Vim para Boa Vista com 14 anos para conhecer minha mãe. Sonhava em conhecer minha família, minha mãe e meus irmãos, mesmo que eles não quisessem me ver. Depois fui ficando, casei e tive duas filhas.

Portal Mulheres Mil – Por que você se envolveu com tráfico de drogas?

Cheila Santos - Fiz pelas minhas filhas, porque eu queria comprar uma casa. Por elas, eu seria capaz de tudo. Trabalhei de empregada doméstica e na prefeitura como inspetora da creche, lá no bairro União, mas ganhava pouco e não tinha tempo para cuidá-las. Como sou separada, a responsabilidade ficava toda comigo. Achei que poderia ganhar dinheiro rápido e fácil.

Portal Mulheres Mil – Você foi procurar um sonho e encontrou um pesadelo. Como se sentiu?

Cheila Santos - Quando eu cheguei aqui no presídio e vi aquele corredozão no fundo, pensei: “olha aonde eu vim parar, olha a situação em que estou me encontrando agora”. Passei doze dias trancada no confinamento. É horrível, com 24 horas ali você se arrepende de tudo o que fez. Saí no 13º dia e passei para o outro lado, junto ao convívio com as outras. Achei que ia entrar em depressão.

Portal Mulheres Mil - Qual o seu sonho de vida?

Cheila Santos - Não terminei o ensino médio e quero concluir os meus estudos para me formar em direito, na área criminal. Esse é o meu sonho desde criança. Sempre falava para a minha mãe que ainda iria me formar em advogada criminalista. A única coisa que eu quero é estar lá fora, quero trabalhar.Estamos aqui consertando o erro e eu não quero mais voltar para cá.

Stela Rosa - Jornalista do Mulheres Mil.

© Ministério da Educação. Todos os direitos reservados | Desenvolvimento: DTI - MEC - Governo Federal