Portal do Governo Brasileiro

Conceitos sobre fermentação e temperatura são aplicadas para produção de produtos.

Durante as aulas da disciplina Tecnologia de Leite e Derivados, mais do que aprender a fazer iogurte, as alunas– tomaram conhecimento de como confeccionar a própria iogurteira. Para isso, utilizaram caixas de papelão, papel alumínio e lâmpada incandescente, que gerou calor, mantendo uma temperatura homogênea, favorecendo a fermentação do leite.

Segundo o professor Darlan Freitas, do Departamento de Química do Instituto Federal do Maranhão (Ifma), foram necessárias seis horas para fermentação completa, numa temperatura constante de 40 graus. As alunas também utilizaram o leite para produção de sorvete, do queijo minas frescal e doce em pasta. “Elas são muito empenhadas e demonstram dedicação no trabalho”, avalia o professor, acrescentando que fazer as coisas com amor, faz muita diferença.

Uma das atividades mais interessantes da aula, na opinião da aluna Daniele Mota, foi descobrir que é possível fazer sorvete utilizando poupas de frutas, o que torna o alimento mais saudável. “Aqui, nos fizemos de goiaba e ficou muito bom”, diz.

Valdália Andrade – Assessoria de Imprensa - IFMA

© Ministério da Educação. Todos os direitos reservados | Desenvolvimento: DTI - MEC - Governo Federal