Portal do Governo Brasileiro

Alunas do assentamento de Aracati conhecem o novo coordenador (Divulgação IFRN)

Proporcionar um melhor acompanhamento das atividades e, ao mesmo tempo, consolidar a atuação do Campus João Câmara na Região do Mato Grande. Esses foram os principais motivos para a mudança da coordenação do Mulheres Mil A partir desse mês, ela deixa de ser responsabilidade da Pró-Reitoria de Extensão do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) e passa a ser exercida pela Diretoria de Extensão do Campus João Câmara do Instituto, inaugurado no ano passado.

“Achamos que esta será uma boa estratégia para suprirmos as dificuldades que forem surgindo. Afinal, nosso campus está bem mais perto das comunidades atendidas e conta com profissionais qualificados para executar o programa. As alunas, sem dúvida, vão ganhar com esse acompanhamento mais próximo”, acredita o coordenador de Extensão e Relações Internacionais do IFRN, Marcelo Camilo.

No último dia 25, Marcelo visitou a comunidade de Aracati, distante 28 km de João Câmara, para apresentar o novo coordenador do programa - o professor e zootecnista Wagno Pinheiro, com grande experiência no trabalho com comunidades rurais. Os dois aproveitaram a ocasião para conversar com as mulheres e ouvir sugestões para o desenvolvimento do programa daqui para frente.

Uma das reivindicações foi a de que o Instituto intercedesse junto à prefeitura para conseguir resolver um problema comum a muitas das alunas: a falta de óculos que as impede de ter um bom aproveitamento das aulas. “Eu bem que tento, procuro ficar colada no quadro, mas não adianta: não consigo enxergar nada”, conta dona Cícera da Silva, de 41 anos.

“Vamos estudar uma forma de resolver este problema – seja através da prefeitura de João Câmara, ou com outras fontes de recursos. O que não pode é este problema se prolongar muito, com prejuízo das alunas”, afirmou o novo coordenador do programa.

Segundo Wagno, o Campus João Câmara está muito feliz em acolher o Programa Mulheres Mil. “É um projeto que vai fazer com que o nosso instituto amplie sua atuação na região, que é o nosso objetivo maior”, concluiu. 

Marília Estevão – Assessoria de imprensa do IFRN

© Ministério da Educação. Todos os direitos reservados | Desenvolvimento: DTI - MEC - Governo Federal