Portal do Governo Brasileiro

II – Sistema de Acesso e Permanência

O Sistema de Acesso e Permanência de Referência proposto neste documento é fruto de um amplo e longo processo de construção, que tem sua origem no acúmulo e sistematização de conhecimentos desenvolvidos pelos Colleges canadenses em suas experiências internacionais de promoção de intercâmbio de conhecimento para a promoção da equidade e nas ações com populações desfavorecidas do Canadá e de países parceiros.

 Já no contexto do Mulheres Mil, a ACCC assumiu em conjunto com os Colleges envolvidos no projeto e em modelo de acesso, o compromisso de consolidar um documento de referência a ser estudado e adequado a realidade brasileira, como também, aplicado no âmbito do projeto e de outras ações posteriormente assumidas pelo MEC/SETEC, CEFETs e demais instituições interessadas.

O modelo de acesso proposto pelo Canadá teve como base os seguintes documentos:

  • Mulheres Mil: Educação, Cidadania e Desenvolvimento Sustentável, Documento Proposto, Diagrama do Projeto;
  • Oportunidades para Todos: Programas e Serviços para Aprendizes Desfavorecidas e Inexperientes oferecidos nos Colleges e Institutos, Relatório Final, Association of Canadian Community Colleges, Março, 2008;
  • ALFICan:  Instituições Amigas da Aprendiz Adulta no Canadá, Relatório Final, Abril, 2007, Paul Zakos, Líder do Projeto (www.alfican.ca).

Preparado pelas seguintes equipes canadenses:

  • Marti Jurmain, Diretora de Pesquisa e Inovação, Niagara College, Ontário, Canadá;
  • Deb Blower, Facilitador em PLAR/RPL, Red River College, Manitoba, Canadá;
  • Adeline Quattre, Coordenadora de PLAR, Cegep Marie-Victorin, Quebec, Canadá;
  • Maria Desjardins, Coordenadora de Avaliação de Aprendizado Prévio, Nova Scotia Community College, Nova Scotia, Canadá.

Na sequência, a Gerência Nacional do Mulheres Mil no Brasil fez um estudo preliminar, redimensionou o documento para a realidade brasileira e socializou para os sub-projetos para que desenvolvessem um conjunto de debates no âmbito das instituições, envolvendo equipes multidisciplinares e equipes gestoras dos CEFETs enviando o posicionamento oficial da instituição, cabendo a gerência nacional a sistematização e apresentação do documento final: Sistema de Acesso e Permanência – Referência para inclusão social de populações desfavorecidas.

Ser instrumento e facilitador no processo de implantação e implementação de programas, projetos e ações de qualificação e formação profissional, estruturação de empreendimentos, desenvolvimento sustentável de comunidades e de populações desfavorecidas e não tradicionais para as instituições

a.  Serviços de acesso aos CEFETs, Colleges e Institutos;

b.  Serviços de permanência das mulheres nas instituições;

c. Serviços de acesso ao mundo do trabalho;

  • Estruturação de equipes multidisciplinares;
  • Estruturação e documentação do material educacional e promocional gerado e utilizado em todo o processo de desenvolvimento da ação;
  • Sistematização de um plano de comunicação e disseminação da informação que leve ao compartilhamento da experiência em todas as suas etapas;
  • Estruturar escritório de acesso ao CEFET e ao mundo do trabalho;
  • Desenvolver soluções tecnológicas que permitam integrar as informações, medir o desempenho e aperfeiçoar o modelo de gestão dos projetos;
  • Desenvolver e implantar o conjunto de serviços de acesso ao CEFET e ao mundo do trabalho e os de permanência na instituição;
  • Sistematizar planos educacionais que atendam às necessidades do público-alvo;
  • Estruturar um conjunto integrado de condições que possibilite a sustentabilidade do projeto.
© Ministério da Educação. Todos os direitos reservados | Desenvolvimento: DTI - MEC - Governo Federal